Arvorismo é tema de manual de boas práticas da Abeta

Para garantir que os turistas que procuram atividades de natureza e aventura durante as férias sintam-se seguros durante a sua prática, a Associação Brasileira de Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura (Abeta) em parceria com o Ministério do Turismo, disponibiliza em seu site informações importantes sobre os cuidados que precisam ser tomados antes de iniciar qualquer atividade.

Entre as diversas modalidades de turismo de aventura, está o Arvorismo. O Manual de Boas Práticas Vol. 4 faz um relato sobre o histórico da atividade, os aspectos empresariais, técnicos, de segurança, socioambientais, entre outros.

Veja abaixo trechos do Manual:

Arvorismo, como praticado hoje, é a evolução e a união de várias atividades: escalada em árvores, via ferrata, tirolesas, circuitos de cordas usados em treinamentos militares e estações de pesquisa instaladas nas camadas superiores das matas tropicais.

Destacam-se três regiões onde essa atividade se desenvolveu fortemente, porém de maneiras distintas: Costa Rica, Estados Unidos e França. Com nomes e características próprias de cada uma dessas regiões, essa atividade mantém uma essência comum: o desafio e o prazer de se praticar uma atividade em altura. Não é exagero dizer que o arvorismo, em suas diversas formas, se apresenta como uma ótima oportunidade de primeiro contato com atividades verticais.

Difícil definir o momento exato em que os percursos de arvorismo surgiram, afinal as atividades que inspiraram sua criação são atividades com origem que se perdem no tempo. Existem registros, por exemplo, de treinamentos militares com o uso de cordas realizados pelo exército do Império Grego, assim como as tirolesas são utilizadas como meio de transporte entre vales há séculos. Existem registros, também da prática de atividades similares ao arvorismo, nos Estados Unidos, a partir da década de 20, onde surgiram os primeiros ropes courses. Podemos afirmar que a atividade de arvorismo, como é praticada hoje com técnicas de segurança adequadas, surgiu na década de 80.

Encontram-se registros antigos do uso de técnicas de arvorismo no Brasil, principalmente tirolesas e alguns desafios realizados com cordas em treinamentos militares ou de escoteiros. Hoje existem centenas de percursos de arvorismo acrobáticos e dezenas de percursos contemplativos, espalhados por todo o Brasil. Alguns lançamentos imobiliários já se promoveram usando este tipo de instalação e muitos resorts hoteleiros também os incluíram nas suas instalações fixas. Isso ilustra o sucesso da atividade e a sua pertinência no cenário de Turismo de Aventura e Natureza no Brasil.

Por Carla Layane

Com informações ABETA

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>