Bonito é um dos 65 destinos indutores do desenvolvimento turístico regional

A cidade turística mais conhecida de Mato Grosso do Sul faz parte dos municípios contemplados pela Premiação das Melhores Práticas dos 65 destinos indutores do desenvolvimento turístico regional. 

Bonito, com suas belezas naturais, recebeu a chancela que é concedida pelo Ministério do Turismo (Mtur) na categoria melhores práticas de políticas públicas das não capitais devido ao Voucher Único Digital, um documento moderno e ágil para o registro das prestações de serviços de atrativos turísticos no âmbito municipal.
         
A iniciativa conquistou o prêmio por corresponder positivamente às 13 dimensões pesquisadas no Estudo de Competitividade realizado pelo MTur, em parceria com o Sebrae e a Fundação Getúlio Vargas. Essas 13 diretrizes tratam da infraestrutura geral; acesso; serviços e equipamentos turísticos; atrativos turísticos; marketing e promoção do destino; políticas públicas; cooperação regional; monitoramento; economia local; capacidade empresarial; aspectos sociais; aspectos ambientais; e aspectos culturais.

O Voucher Único Digital surgiu como uma ferramenta de relevante importância para o crescimento e a organização turística. “Tanto é que varias cidades onde o turismo tem se desenvolvido estão analisando este modelo, exemplo de padronização e controle”, diz Augusto Barbosa Mariano, secretário de Turismo, Indústria e Comércio.         

O turismo planejado e de qualidade prioriza os cuidados com a natureza

A atividade turística é a segunda maior renda do município e o setor que mais emprega a comunidade local. Conhecida internacionalmente, Bonito é um dos destinos turísticos mais procurados do Brasil devido a grande demanda do ecoturismo e atividades esportivas ligadas ao meio ambiente. Belezas naturais compostos principalmente por águas cristalinas, esportes radicais e fauna e flora exuberantes encantam e atraíram apenas no feriado de outubro (entre os dias 9 e 12) cerca de nove mil turistas, que lotaram a capacidade hoteleira da cidade, que conta com pouco mais de 4,5 mil leitos.

A expansão do turismo local, a necessidade de profissionalização e aperfeiçoamento dos serviços turísticos e um mercado consumidor exigente incentivaram a prefeitura a implantar um meio de controle para fins estatísticos, de arrecadação municipal evitando a evasão fiscal. A medida controla ainda a visitação dos passeios, mensurando a capacidade de carga, dentro das mais avançadas regras de sustentabilidade. Fato importante, uma vez que a frágil região exige atenção especial e cuidados redobrados na sua conservação e preservação.

O Voucher Único envolve o poder público e o trade turístico e garante a prestação de um serviço direto ao turista, cuja venda pode ser intermediada por agência ou operadora, com respeito à conservação dos recursos naturais e com um turismo planejado e de qualidade em detrimento ao turismo de massa.

“É o dispositivo mais moderno existente para o controle da visitação, proporcionando a emissão de relatórios em tempo real. Com esta nova regulamentação, o município busca alcançar o controle da impressão, padronização e distribuição das notas fiscais de serviços, o controle rápido e eficiente do imposto lançado e a excelência na qualidade do serviço prestado”, afirma Mariano. 

O secretário destaca ainda que o voucher proporciona redução nos custos na impressão do formulário, na aquisição de papéis, no armazenamento de documento fiscal, amplia a base dos contribuintes, oferece gráficos comparativos, relatórios gerenciais e cruzamento de informações. No que diz respeito ao contribuinte, possibilita a emissão do voucher pela internet de qualquer lugar do mundo, sendo que há economia e consciência ambiental com a redução de impressão de papéis.

“A comunidade foi a maior beneficiada, uma vez que o desenvolvimento da atividade turística em Bonito atende a expectativa de geração de emprego, renda e receita para o município, mas em primeiro lugar destaca-se a organização surgida espontaneamente na comunidade, onde a forma de se relacionar com seus recursos naturais, de acolher seus visitantes e regular o número da freqüência, caracteriza o modelo de gestão do turismo local, referência regional, nacional e mundial”, finaliza o secretário. 

Melhores Práticas        

Os 65 Destinos Indutores do Desenvolvimento Regional representam um elo do Programa de Regionalização do Turismo e são resultados de um intenso processo de estudos e investigações sobre a potencialidade turística do Brasil. Tais destinos devem ser trabalhados para que sirvam como modelos indutores para o desenvolvimento turístico-regional. O Ministério do Turismo busca multiplicar essas experiências e práticas bem sucedidas a outros Destinos que integram as regiões turísticas do País. 

A primeira chamada para a premiação selecionou esse ano 26 das melhores práticas do programa de destinos indutores, sendo 13 em capitais, e outras 13 nas demais cidades. 

Informações Notícias MS

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>