Bonito (MS) é modelo para muitos destinos turísticos

Apesar do turismo em Bonito (MS) ter suas raízes na década de 1970, ainda estava restrito a alguns aventureiros e cientistas em busca da biodiversidade, assim como a riqueza geológica da região.

O turismo nessa encantadora cidade sul-mato-grossense começa a ganhar uma pequena forma, já na segunda metade da década de 1980, aproveitando turistas que visitavam o Pantanal, ainda que com poucas opções de passeio, mas já oferecendo a Gruta do lago Azul, que conforme a opinião de muitos espeleólogos é certamente uma das mais belas cavernas do mundo.

Aos poucos as raras belezas naturais vão se incorporando às atividades de ecoturismo e lazer, ganhando uma forma já compatível com o pensamento ecológico e turístico. Sempre grupos pequenos, separados por um intervalo de tempo, com um guia no comando.

A década de 1990, já com a abertura e estabilização econômica, favorecem a instituição de equipamentos cada vez melhores para a prática do ecoturismo, assim como investimentos na hotelaria, dentre outros segmentos.

Vem então o anseio do Trade Turístico dessa Cidade de águas transparentes em buscar inovações, um modelo para desenvolver o turismo de forma sustentável. O curioso é que as particularidades de Bonito (MS) tornavam a busca difícil, pois tudo o que já existia era muito diferente da realidade desse refúgio da Natureza.

Assim, constrói-se um modelo de organização, que tem como fundamento a conservação e educação ambiental, pois levar os turistas aos santuários ecológicos é um processo de reflexão de qual o papel do ser humano diante da imensidão da Terra, quem diria do Universo?

E esse modelo, elaborado por muitos atores sociais, tanto do Setor Privado, como do Público, em parceria com a simpática e acolhedora Comunidade, virou alvo não somente de turistas, mas de pesquisadores, empresários e administradores públicos.

Recentemente, Bonito (MS) recebeu mais duas missões técnicas organizadas pelo SEBRAE, sendo uma de Goiás, conhecido pelas águas quentes de Caldas Novas e as cachoeiras de Pirinópolis e, outra da Costa das Baleias, famosa pelos santuários ecológicos, como o arquipélago de Abrolhos, refúgio e berçário das baleias jubarte e os seus recifes, compreende os municípios do sul baiano: Alcobaça; Caravelas; Mucuri; Nova Viçosa e Prado.

Essas missões são compostas por empresários, representantes públicos e muitas vezes jornalistas.

Além de conhecer de perto a organização do Município Ecológico, visitando atrativos e entrevistando as pessoas, assistiram palestras ministradas por Augusto Mariano e Cícero Peralta, respectivamente, Secretário de Turismo e Presidente do Conselho Municipal de Turismo.

“Bonito (MS) é modelo porque é como um “tripé”, ou seja, a parceria entre Poder Público, Iniciativa Privada e Comunidade”, diz Mariano.

Fonte: Secretaria Municipal de Turismo de Bonito




 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>