Conheça Marja Milano, coordenadora da Fundação Neotrópica em Bonito

Entre os dias 30 de junho a 3 de julho, a cidade de Bonito (MS) recebe a terceira edição do Congresso de Natureza, Turismo e Sustentabilidade – Conatus 2013, evento idealizado e organizado, em todas as suas edições, pela Fundação Neotrópica do Brasil.

O Conatus tem como objetivo reunir especialistas de renome nacional e internacional, para discutir as questões de turismo como promotor da conservação ambiental e da natureza como capital de base para o turismo no Brasil. Paralelamente, pretende-se contribuir para a construção de políticas públicas mais adequadas que conciliem a atividade turística e a conservação do seu maior potencial, que é o patrimônio natural.

Para falar mais sobre o assunto e sobre a Fundação Neotrópica, a coluna “Quem Faz Bonito”, entrevistou Marja Zattoni Milano, Bióloga, Mestre em Ecologia e Conservação, e que atua na instituição em projetos de conservação da natureza, principalmente na região de Bonito e no Pantanal Sul.

Confira:

Como funciona a Fundação Neotrópica?

Marja Milano: A Neotrópica é uma ONG, sem fins lucrativos, criada em 1993. O nosso funcionamento é baseado num planejamento estratégico, o qual é periodicamente revisado pelo Conselho Curador da instituição e pela equipe técnica. Com base nestas estratégias e objetivos, são escritos projetos para a captação de recursos em editais e junto a parceiros diversos. Os projetos que são aprovados e obtém financiamento são então executados. Nos orgulhamos de ter parceiros de longo prazo, com vários anos seguidos de financiamento, o que reflete uma relação de segurança e os bons resultados que conseguimos alcançar.

Quais são as principais áreas de atuação?

M.M: Temos 5 linhas principais de atuação:
a) Fomento à criação e apoio à gestão das Unidades de Conservação, públicas e privadas;
b) Recuperação de áreas degradadas e adequação de propriedades rurais no Cerrado, Mata Altântica e Pantanal;
c) Pesquisa científica sobre biodiversidade e conservação da natureza;
d) Comunicação, educação da sociedade e disseminação de boas práticas para a conservação da natureza;
e) promoção do turismo como promotor da conservação ambiental e a natureza como capital de base para o turismo no Brasil.

Quais os projetos que envolvem Bonito?

M.M: Vou listar os projetos atuais:
– Projeto Corredor de Biodiversidade Miranda – Serra da Bodoquena, que inclui diversas ações de fortalecimento do Parque Nacional da Serra da Bodoquena, ações de educação ambiental, apoio aos Conselhos de Gestão do Meio Ambiente, entre outras atividades.
– Projeto Produtores de Biodiversidade, que pretende promover a recuperação e conservação na Bacia do Rio Formoso por meio do estabelecimento de um Programa de Pagamento de Serviços Ambientais no município de Bonito
– Projetos de pesquisa científica sobre a biologia e a ecologia de psitacídeos (papagaios, araras, periquitos etc) e sobre o gavião-real (Harpia harpyja) no Parque Nacional da Serra da Bodoquena e em seu entorno
– Organização do III Congresso de Natureza, Turismo e sustentabilidade, que vai acontecer de 30 de junho a 3 de julho, em Bonito-MS.
– Projeto Eco-comunicadores: rede de comunicadores ambientais Serra da Bodoquena – Pantanal
Todos estes projetos são realizados com o apoio fundamental de diversos parceiros.

Sobre o Conatus

Qual o público alvo?

M.M: O Conatus espera congregar todos aqueles que interagem ou se interessam por esta temática, como estudantes, professores, profissionais autônomos, empresários e técnicos das diferenças esferas de governo (municipal, estadual e federal), das áreas de meio ambiente e de turismo.  

Qual o tema e os principais objetivos do evento?

M.M: O Conatus existe para discutirmos o turismo como promotor da conservação ambiental e a natureza como capital de base para o turismo no Brasil. Paralelamente, pretende-se contribuir para a construção de políticas públicas mais adequadas que conciliem a atividade turística e a conservação do seu maior potencial, que é o patrimônio natural.

Como surgiu a ideia do Conatus?

M.M: Atuando em Bonito, é impossível dissociar o turismo das ações de conservação ambiental. Ao contrário, é fácil perceber como estes temas devem ser tratados de forma associada. A ideia do Conatus surgiu como uma forma de encontrarmos outras pessoas que trabalham e estudam esestas temáticas. Acreditamos que, em conjunto, pode-se ampliar e aprofundar as discussões, melhorar as práticas e construir políticas públicas adequadas de turismo ligado ao meio ambiente.

Qual a importância de promover eventos como esse em Bonito?

M.M: Eventos como esses são uma oportunidade única de reunir pessoas em torno de temas importantes, possibilitando a interação entre pesquisadores e empresários, entre estudantes e profissionais experientes, entre planejadores e aqueles que atuam “na ponta”. Ou seja, é uma oportunidade para que todos possam ampliar o seu olhar para as diferentes questões ligadas ao turismo de natureza, para o aprendizado, a troca de experiências e o estabelecimento de parcerias.

Falando especificamente do Conatus 2013, vale ressaltar que não há momento mais oportuno para as discussões e reflexões aqui propostas, vistos os investimentos em turismo que já estão acontecendo para a Copa de 2014 no Brasil e as Olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro. Logo, é fundamental o planejamento cuidadoso, que gere bons e perenes frutos, preparando o Brasil para se inserir na indústria de turismo mundial de grande escala.

Há algum patrocínio para a realização do Conatus?

M.M: Sim, o Conatus conta com a parceria da Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul, da Prefeitura Municipal de Bonito e da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. São patrocinadores do evento a Petrobrás, a MMX e o Instituo Semeia. Contamos ainda com importantes apoiadores, cujas logos e nomes podem ser conferidas em nosso website
(www.conatus.org.br).

Conheça um pouco mais sobre nosso entrevistado de hoje (24) na coluna “Quem Faz Bonito”:

Te Chamam de: Ma, Marjinha, mãe

Nasceu em: 01/12/82

Gosta de comer: tudo com manjericão, tomate e parmesão. É a mistura perfeita!

Na sua cabeceira tem: Em casa eu tento fugir dos livros técnicos. Estou lendo Machado de Assis.

Adora ouvir: Samba

Gosta de fazer nas horas vagas: Mergulhar no Rio Formoso

O que te inspira: um mundo melhor para as crianças

Não vive sem: tempo livre pra curtir minha família

Simplesmente inesquecível: Meu primeiro trabalho de campo em Mato Grosso do Sul, quando vi pela primeira vez anta, tamanduá-bandeira, lobo-guará, queixada, ariranha e tantos outros bichos. Me apaixonei!!!

Melhor lugar que visitou: Fernando de Noronha

Qual lugar gostaria de visitar: Difícil escolher um só! Ultimamente quero muito conhecer o México.

Qual uma experiência marcante que já vivenciou na natureza: ver uma onça em seu ambiente natural, no Pantanal, acompanhada dos alunos do curso de Monitor Ambiental que realizamos em 2012. Encerramos o curso com chave de ouro!

O que faz por Bonito: além do meu trabalho, tento fazer a minha parte como cidadã, participando dos programas que julgo importantes (coleta seletiva, por exemplo) e dos espaços de participação popular nas tomadas de decisão (Conselho Municipal de Meio Ambiente e Conselho Consultivo do Parque Nacional da Serra da Bodoquena, nos quais sou conselheira).

Bonito para você é: Um lugar que me deixa otimista em relação ao futuro, onde acho possível construirmos um caminho que concilie e respeite, verdadeiramente, o bem estar de toda a população e a natureza local. 

Até a Próxima!

Leia Mais

Conheça Fernandinha Reverdito

Amar incondicionalmente. É isso que Fernanda Reverdito faz por Bonito (MS), e sem esforço algum! Nascida e criada no destino, a guia de turismo de 32 anos só passou três anos fora, na Bahia, quando resolveu conhecer um pouco mais do mar.

Na profissão há 13 anos, ela conta que tudo começou pelas andanças ao longo dos rios com outros amigos. Fez o curso técnico e hoje atua em todos os passeios, principalmente Gruta São Miguel e Gruta do Lago Azul.

Durante a noite, Fernanda abre a loja que possui na rua 29 de maio, a Casa da Memória Raída. O espaço, em homenagem à avó, funciona como uma espécie de museu e boutique, repleto de histórias que marcaram a cidade, artes e artesanatos regionais.

A loja em formato de museu sempre foi seu sonho. “Queria um museu interativo em que a pessoa pudesse chegar, conhecer um pouco da história, saber sobre as pessoas, comer uma comida típica, comprar um artesanato local e saber quem faz.” E apesar do espaço improvisado, Fernanda está chegando lá: os visitantes são recebidos com café fresquinho e chipa, as inúmeras fotos estão expostas nas paredes, a variedade de livros regionais é de se orgulhar, as peças vendidas são de pessoas que ela realmente conheceu e a TV exibe um documentário de sua autoria.

Filmado em 2003, “Entre Rios e Histórias”, traz a memória oral das pessoas mais antigas de Bonito. A guia de turismo lembra que sempre teve interesse em ouvir histórias da avó. Durante muito tempo realizou um trabalho de resgate, conversava com as pessoas e anotava tudo e aos poucos foi surgindo a ideia final da produção do documentário.

Na época, com a ajuda do amigo Alexandre Baço, o projeto foi aprovado pelo Fundo de Investimento Cultural (FIC) de Mato Grosso do Sul. A partir daí foram meses de roteiro, direção, gravação e edição. O lançamento ocorreu em praça pública, em abril de 2004, para mais de 600 pessoas.

De grão em grão, a guia de turismo foi juntando material que representasse a história de Bonito em fotos, cartas, relatos, livros. Tudo começou pelo seu tataravô, fundador da cidade, depois o nascimento de sua avó Raída, casada com o famoso bandoleiro Silvino Jacques, passando pela fé no personagem de Sinhôzinho. “Toda história da minha vó, depois da minha mãe, depois dos meus tios, me motivaram a ser apaixonada pela minha história.”

Silvino Jacques

Segundo Fernanda, Silvino Jacques é um marco na história do Brasil, uma figura que foi tão polêmica pra uns e muito amado por outros. “Mas foi poeta, historiador, uma mistura de várias coisas.”

O bandoleiro passou pela região da Serra da Bodoquena, fugindo do Sul do país depois de matar o assassino de seu irmão. Sua fama já era grande na época porque atirava muito bem. Afilhado político de Getúlio Vargas, Silvino recebia munições do governo para proteger a fronteira contra a entrada de paraguaios depois da guerra.

Ele e o bando, com cerca de 70 homens que foram agregados ao longo do percurso, ficaram tomando conta da região. “Quando ele conheceu minha avó Raída, ele a roubou porque a quis para ele. Mesmo assim, ela se tornou mulher dele, passaram oito anos juntos e tiveram três filhos. Em vários livros e ouvindo os relatos da minha mãe, ela foi uma das maiores companheiras dele, então, tem várias cartas, vários livros.”

Aos 33 anos de idade, Silvino foi assassinado com um tiro de bala de fuzil. O projétil disparado era do delegado de captura, guarda da época, pai do ex-governador de Mato Grosso do Sul, Zeca do PT.

Quando ele faleceu, D. Raída se casou com Adão, com quem teve outros filhos, incluindo Ramona, mãe de Fernanda.

Sinhôzinho

O Sinhozinho foi um dos maiores curandeiros da região. Na década de 40, curava as pessoas com cinza na água e plantas medicinais, e por conta disso foi muito perseguido pela captura. O fato de não falar, despertava muita curiosidade dos mais antigos, principalmente dos farmacêuticos, que não concordavam com o modo de não cobrar por seus serviços.

Seus milagres foram reunindo devotos, que organizavam romarias e passavam dias nas fazendas por onde ele passava. “Isso realmente aconteceu, a história é verdadeira, o Sinhozinho não é uma lenda, ele é um fato, ele é história, ele viveu aqui. Depois um pouco foi agregado à história de outras pessoas e assim por diante”, afirma.

De acordo com Fernanda, o curandeiro criou capelas por onde passava, deixando uma cruz. A propriedade rural de sua família, na região do Mimoso, foi uma delas. “Até hoje as pessoas fazem oração na capela que passa por dentro da nossa chácara para ser benzido e pegar a água que eles tomam como se fosse um sistema conta gotas”. 

Ninguém sabe ao certo como Sinhôzinho desapareceu. Em sua homenagem, todo ano é realizado um evento pela população local próximo à data de São João, quando são feitas as rezas.

Para a guia de turismo, sua minha maior preocupação é resgatar histórias como essa. “A partir do momento em que você entende, compreende, participa, você consegue dar valor. Agora, se você não souber simplesmente contar, isso vai sendo esquecido e isso é memória oral do povo de Bonito, isso é história!”

Conheça um pouco mais sobre Fernandinha Reverdito:

Te chamam de: Fernandinha

O que te inspira: Natureza e povo de Bonito

Não vive sem: Banho de rio e abraço da mãe

Uma experiência inesquecível: O lançamento do documentário e a alegria das pessoas em se ver em uma tela grande

Gosta de fazer nas horas vagas: pedalar, nadar, tomar tereré com os moradores mais antigos e ouvir histórias

Gosta de ouvir: Desde polca paraguaia e chamamé até moda de viola, samba… Música boa!

Bonito para você é: A caixinha mágica calcária da Serra da Bodoquena

Até a próxima!

Por Daniela Aguena

Leia Mais

Conheça Elias de Oliveira Francisco

O Portal Bonito Brazil apresenta hoje em sua Coluna Quem Faz Bonito o empresário Elias de Oliveira Francisco, que está à frente das empresas EK Turismo – Locadora de Veículos (www.eklocadora.com.br), e também da Pousada Céu de Estrela (www.pousadaceudeestrelas.com.br), ambas localizadas em Bonito (MS).

Durante um bate papo descontraído, Elias nos revelou como chegou ao destino de ecoturismo, como vê o turismo na região entre outras peculiaridades de seu cotidiano.

Confira:

O que te trouxe à Bonito?
Elias: Moro em Bonito há dez anos. Cheguei em 17 de junho de 2002, à convite do proprietário do atrativo Boca da Onça, em Bodoquena, para vir administrar o passeio assim que foi inaugurado. Fiquei no atrativo até 2008. Já em 2009 tive a oportunidade em fazer um intercâmbio para a Austrália e assim que retornei à região já estava com a ideia de abrir um negócio próprio na área de transporte, já que era um nicho de mercado a ser explorado. Foi quando nasceu a EK Turismo. Coincidentemente recebi um convite para gerenciar a Pousada Céu de Estrelas, há qual estou à frente por um ano.

Durante esses dez anos quais mudanças observou no turismo de Bonito?
Elias: A cidade teve uma mudança muito boa em relação à qualidade de vida e à infraestrutura. Temos asfalto em quase toda a cidade, temos uma rodoviária nova, um aeroporto operando, coisa que quando aqui cheguei não existia. Temos uma praça melhor, uma rede hoteleira melhor, mão de obra capacitada.

Qual o diferencial de sua empresa?
Elias: Nosso diferencial é receber bem com qualidade, atender da melhor forma nossos clientes, falar o que realmente é pertinente. Temos como propósito superar as expectativas deles. Nosso perfil é fazer com que o turista, desde nosso primeiro contato com ele, tivesse um atendimento diferenciado até o seu hotel. E no percurso do hotel aos passeios procuramos enxergar o perfil de cada visitante  para atender melhor as suas necessidades.

Já na Pousada privamos pelo atendimento familiar. Eu, minha esposa Carina e nossos filhos sempre estamos por aqui para receber os hóspedes. As pessoas se sentem em casa, em um ambiente gostoso e tranquilo como se fosse a extensão da casa deles. Preparamos também um delicioso café damanhã onde o pão é caseiro, assim como o queijo e o iogurte.  Esses pequenos detalhes fazem com que nossos amigos-visitantes  voltem e também no recomendem para seus amigos e familiares.

Conheça um pouco mais sobre Elias de Oliveira Francisco:

Te chamam de: Elias

Nasceu em: 18 de fevereiro de 1969 em Campinas (SP)

O que te inspira: O trabalho. No turismo conhecemos diferentes culturas, diferentes lugares. É uma renovação já que a cada dia temos um desafio diferente além de ter a oportunidade de trabalhar junto à minha família.

Não vive sem: Internet e tecnologia

Simplesmente Inesquecível: Realizar um intercâmbio para a Austrália aos 40 anos de idade. Fiquei longe da minha esposa e filhos durante um ano para estudar outro idioma, ferramenta essencial para meu trabalho. Foi uma experiência muito em minha vida.

Melhor lugar que visitou: Foi um sobrevoo que fiz no Pantanal pela Vazante do Castelo. Tirei muitas fotos e de vez em quando ainda olho e compartilho essas imagens. Esse passeio me marcou pela beleza do local

Qual lugar gostaria de visitar: O Vietnã. Alguns amigas me mostraram fotos de lá e aparentou ser um lugar muito bonito e exótico

O que faz por Bonito: Recebo bem nossos clientes, hóspedes e amigos, divulgo nosso destino com a maior satisfação do mundo

Bonito para você é: Minha casa. Vim para ficar, eu e minha família não nos vemos mais em outro local.

Leia Mais

Conheça Márcio Lima – Lobo Guará

O Portal Bonito Brazil conversou com Márcio Lima, proprietário da Lobo Guará – empresa de cicloturismo, localizada em Bonito (MS) e que oferece um passeio especial pelas belezas naturais da região sob nova ótica: de bicicleta.

Ele nos revela como o ecoturismo surgiu em sua vida, sua mudança para o melhor destino de ecoturismo no Brasil, a criação da empresa Lobo Guará, a inovação através do Projeto Plantando e Educando, além de outras informações.

Márcio começou a trabalhar desde cedo e na área do turismo na qual já atua há 24 anos. “Tenho curso de sobrevivência na selva, feito na Amazônia, local este que me projetou para o destino de ecoturismo brasileiro – Bonito”, revela.

A mudança para a região aconteceu qunado após trabalhar por sete anos em Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul, recebeu uma proposta para atuar em um passeio em Bonito, chamado Serra Aventura, na qual eram oferecidas as atividades de mountain bike, parapente, trekking, entre outros. Isso foi no período de 1997 à 2002.

“Fui para a Fazenda da Serra Aventura para explorar os atrativos que ela oferece, gerando o mínimo de impacto ambiental. O forte do local era o mountain bike, off road, descobrimos um morro que dava para fazer parapente, trekking de dois dias na mata, com muita gruta e cachoeiras. O local fica bem na borda da Serra da Bodoquena, o relevo era muito espetacular.  Porém o local fechou com o fim da sociedade entre os proprietários. Foi nesse local que comecei a explorar o mountain bike”.

Como o Serra Aventura encerrou suas atividades em 2002 e Márcio já estava atuando profissionalmente na área de turismo, migrou para instrutor de rapel no Abismo Anhumas, na qual ficou por 11 anos.

“Sempre viajava à Bonito sob duas rodas. Através do meu trabalho no Abismo Anhumas vi que faltava algo relacionado com bike no município. Criei então, junto com um sócio a Lobo Guará em 2008. Compramos oito bicicletas importadas, ressaltando o lema da nossa empresa: Qualidade e não Quantidade”.

O nome da empresa foi escolhido após uma experência de bicicleta nas rodovias do Estado. “Andava com frequência para Costa Rica e Alcinópolis e vi muitos lobos guarás mortos e atropelados nas rodovias. Presenciei um animal agonizando e isso me sensibilizou. Falei para mim mesmo que quando tivesse uma empresa ela se chamaria Lobo Guará”.

Márcio já está há 16 anos em Bonito e atualmente é o único dono da empresa. Para inovar implantou o projeto Pedalando e Plantando, no qual foram plantadas 1.100 mudas em 2011. “A minha ideia é incentivar as pessoas a praticarem mais esportes. A bicicleta não polui, ela agrega muito mais ao meio ambiente e ainda deixamos um reflorestamento em troca por ter utilizado as trilhas e a natureza”.

“Acredito ser muito mais importante para o meio ambiente deixar uma árvore plantada do que deixar meras palavras. Tem que ter ação. Motivo pelo qual agreguei o ciclismo ao meio ambiente, que além de incentivar o esporte auxilia a conscientização ambiental”.

As sementes utilizadas  nos plantios costumam ser colhidas durante os meses de agosto e setembro, época das sementes do cerrado.

“Faço a doação dessas sementes para o Recanto Ecológico Rio da Prata e também para a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Bonito, e eles me retibuem em mudas, já que possuem viveiros com excelente estrutura”.

Quando questionado sobre onde são realizados os plantios, Márcio revela que “a área que precisava ser recuperada era no Rio Formoso. Então abraçamos a causa, já que é um rio maravilhoso, a água é de um verde espetacular e o local tem tudo a ver com a atividade de bicicleta. Temos um trajeto de 3 km margeando o rio e é nesse trajeto que acontece o plantio de mudas.

Ao chegarmos no local falo: Agora vocês vão deixar um agradecimento, vamos fazer um plantio de mudas. Para os turistas isso é um espetáculo. Tem o caso de um pessoal da Suiça que contou que era a sétima visita deles ao Brasil e era a primeira vez que alguém oferecia uma árvore para eles plantarem. Por mais que andar de bike seja uma coisa simples, o passeio que ofereço sensibiliza as pessoas”.

Márcio diz que as mudas utilizadas nos plantios costumam ser ipê, cedros, angico, entre outros.

Sobre o passeio

O passeio de Bike da Lobo Guará utiliza a ciclovia para chegar ao Balneário Municipal de Bonito. São 12 km (ida e volta) mais 3 km dentro da fazenda. Durante o percurso, além de falar sobre ciclismo, Márcio informa os turistas sobre curiosidades da região, como a sua ecologia, informações turísticas, entre outros. Seu público alvo costuma ser família e casais, além de pessoas que não possuem o hábito de andar de bicicleta, mas que no final do percurso são despertados pela adrenalina que a mesmo proporciona.

“Apesar de muitos serem sedentários, eles acabam gostando da atividade. Muitos, após retornarem as sua cidades de origem, entram em contato solicitando algumas dicas e também onde podem adquirir boas bicicletas. Minha satisfação é ver as pessoas se exercitando”, finaliza.

Conheça um pouco mais sobre Márcio:

Te Chamam de: Márcio.

Nasceu em: 09 de fevereiro de 1969, em Campo Grande (MS).

Signo: Aquário.

O que comeria todos os dias: Tudo (risos).

Na sua cabeceira tem: A consciência tranquila.

Não sai de casa sem: Celular.

Adora ouvir: Sou bem eclético.

Gosta de assistir: Filmes de ação.

O que te inspira: A natureza.

Não vive sem: Esporte.

Simplesmente inesquecível: Minha mudança para Bonito. Já morei em outras cidades como Roraima, Rondônia, Belo Horizonte, mas Bonito etá acima de qualquer coisa. Não saio mais de Bonito, a região possui um turismo ecologicamente correto, é muito organizado e sinto prazer em trabalhar em uma região com tantos atrativos naturais.

Lazer: Esporte e churrasco.

Melhor lugar que visitou: Abismo Anhumas, em Bonito e o Recanto Ecológico Rio da Prata, em Jardim.

Qual lugar gostaria de visitar: O Monte Roraima.

Qual foi uma experiência marcante que já vivenciou na natureza: Já monitorei Sucuris durante o período de cinco anos, uma com oito metros de comprimento e outra de seis metros. É um dos aniamis mais belos que já vi.

O que faz por Bonito: Defendo com unhas e dentes.

Bonito para você é: Vida, paz e tranquilidade.

Conheça mais sobre a Lobo Guará. Acesse o site: www.loboguarabikeadventure.com.br

Leia Mais

Conheça Maria Laura Campos

Para retomar nossa coluna “Quem Faz Bonito”, edição 2012, apresentamos a jovem empresária Maria Laura Terra Campos da Silva Costa, Diretora de Marketing do Bonito Hi Hostel – albergue localizado no destino de ecoturismo brasileiro: Bonito (MS).

Apesar da pouca idade, Maria Laura acumula grandes responsabilidades. Advogada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (2006) e Pós Graduanda em Gestão e Marketing Digital na ESPM (2012), além de cuidar do marketing do Bonito Hi Hostel, das funções administrativas comerciais do empreendimento, está também sob seus cuidados a Empório Bijoux Maceió. Tino comercial? Ela tem de sobra. E por conta de tantas atribuições ela mesma revela que atualmente “mora entre Maceió e São Paulo”.  Porém em seu histórico constam as cidades de Bonito e Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.

Maria Laura nos revela um pouco de sua dedicação para com o Bonito HI Hostel, assim como revela peculiaridades de seu cotidiano, a importância das mídias sociais para as empresas assim como a união da família para gerir os negócios.

Confira abaixo a entrevista:

Sobre o Bonito Hi Hostel:
Diria que é a minha casa, meu lar e o meu porto seguro. Primeiro, porque o hostel realmente tem um clima acolhedor de lar. Muitos turistas comentam isso, segundo, porque vi junto com meu pai cada parede sendo erguida, cada tijolo sendo colocado,  a comemoração quando meu pai fez a piscina e, após, o poço artesiano. Enfim, tudo que ali é feito, por trás tem muito trabalho e dedicação, trabalho esse que meu pai faz como se estivesse construindo a casa dele.  E é assim que nós, os três filhos, nos sentimos. Parece mesmo a casinha da gente com um monte de visitas e amigos que chegam e partem todos os dias, mas que deixam lembranças eternas, registradas ou não. E a gente tendo uma casa tão gostosa como essa não dá vontade de ter outra.

O que o turista irá encontrar quando se hospedar no Bonito Hi Hostel?
Exatamente aquilo que nós passamos para ele através dos nossos meios de comunicação. Enviamos dois informativos ao turista, onde consta ABSOLUTAMENTE tudo que ele precisa saber sobre o hostel, sobre os passeios, sobre Bonito, eventuais problemas, etc. O turista também vai compartilhar experiências com pessoas de diversos países. Vai encontrar a casa dele em Bonito. Vai conhecer novos amigos e viver com eles experiências maravilhosas compartilhadas também nos passeios e não somente no hostel.  A expressão “compartilhar experiências e novas culturas” vai além do hostel, ela se estende aos passeios, aos restaurantes, etc, pois proporcionamos isso a eles. 

Qual o diferencial do empreendimento?
No contexto atual em que fala-se o tempo todo em redes sociais, no verbo “compartilhar”. Ora, devemos parar e refletir. O que significa uma rede social? Nada mais é do que um grupo de pessoas que compartilham dos mesmos interesses, cultura, etc.  Então qual é o diferencial do Bonito Hi Hostel? Ele faz parte de nada menos do que de uma rede social de hospedagem, da Hostelling International e da cultura backpacker mundialmente difundida também fora da rede. Ser mochileiro é fazer parte de uma rede social mochileira. Os mochileiros compartilham viagens, experiências, quartos, passeios, comida, diversão, prezam pela convivência humana e pelo respeito entre as pessoas e possuem milhões de interesses em comum. Assim, é fácil transportar a rede social materialmente tangível, física, para as mídias sociais propriamente ditas.

O Bonito HI Hostel foi eleito o melhor da Temporada de Verão 2012 pela FBAJ. O que isso representa?
Representa o poder do Marketing boca a boca, o principal responsável para que o Bonito HI Hostel tenha a fama atual. Há 16 anos mal existia internet e o destino não era difundido como é hoje. Nós não tínhamos dinheiro para investir em marketing tradicional. E nós sempre acreditamos e valorizamos o Marketing boca a boca, por isso sempre investimos na excelência dos nossos serviços, afinal o que é bom é sempre contato para os conhecidos. Com o advento da internet tivemos um crescimento ainda maior e, claro, o Facebook representa um MKT boca a boca viral.  A conquista solidificou a excelência do Bonito HI Hostel. Podemos afirmar que nossa marca Bonito HI Hostel está fortalecida, em outras palavras, nosso branding está sendo muito bem trabalhado, nas devidas proporções de uma Micro Empresa.

Conheça um pouco mais sobre Maria Laura:

Te Chamam de: Marilau.

Nasceu em : 17.01.83.

Signo: Capricórnio.

O que comeria todos os dias: massas.

Na sua cabeceira tem: livros, IPAD.

Não sai de casa sem: smartphone, brincos, batom.

Adora ouvir: sertanejo.

Gosta de assistir: Séries de TV como Grey`s Anatomy, House, Law and Order.

O que te inspira: ver os hóspedes felizes e empolgados, tanto pessoalmente, como virtualmente (via facebook, twitter e emails). Nessas horas tenho a certeza de que o Bonito HI Hostel consegue mesmo passar a experiência de “ser mochileiro”, e cumprir sua missão.

Não vive sem: meu pai.

Simplesmente inesquecível:  A primeira vez que coloquei os olhos numa água bonitense: eu estava com medo dos peixes, tinha 14 anos e meu pai me jogou à força na nascente do aquário natural.

Lazer: quando estou em SP: cinema. Quando estou em Bonito adoro tomar sol no deck da Lagoa do Parque Ecológico Rio Formoso e em Maceió ir à Praia do Francês com meu marido.

Melhor lugar que visitou: Dizer Bonito seria muito óbvio, então digo: Japaratinga-AL, Pousada e Restaurante Caiuia.

Qual lugar gostaria de visitar: Amazônia, Rio Araguaia e Leste Europeu.

Qual foi uma experiência marcante que já vivenciou na natureza: O dia em que eu flutuei na Lagoa Misteriosa. O mundo parou nesse momento.

O que faz por Bonito: Ajudo a divulgar o Destino através do Facebook do Bonito HI Hostel, que está chegando com mais de 30 mil curtidas. Como dito anteriormente, transportamos o conceito de rede social de mochileiros para a plataforma do facebook e está dando muito resultado. Nossa página serve para estabelecer uma conversa entre nós com nossos turistas, promovendo um engajamento dos mesmos com o hostel e com o DESTINO BONITO-MS. Eu faço com que as pessoas sintam Bonito, estejam em Bonito  e que venham a Bonito. Muitos acham que é só postar uma coisinha ali e pronto. NÃO! É MUITO DENSO ESSE TRABALHO…

Bonito para você é: Minha terra, meu lar, meu trabalho, meu descanso. Posso dizer que em Bonito eu sou turista SIM, UMA ETERNA TURISTA. Não posso estar em Bonito sem mergulhar em algum lugar.

O que espera para 2012: Um ano cheio de mudanças tanto na minha vida profissional como pessoal. Há dois meses meu irmão Luciano Terra Campos da Silva tomou a frente da Administração da empresa e, junto com meu pai, nós dois estamos começando a aprimorar e inovar o empreendimento. O segredo está na união da família.

Quer conhecer um pouquinho mais do que a Maria Laura nos contou? Curta a página: www.facebook.com/bonitohostel

Leia Mais

Conheça Katia do Pirá Miúna

Nossa entrevista de hoje (08) apresenta Katia Celi e Silva Salustiano, sócia e gerente do Hotel Pirá Miúna em Bonito (MS), que além de atuar no setor hoteleiro do destino de ecoturismo desempenha outras funções em diversas instituições da cidade como: ABH, ACEB, CB&VB, IASB e Instituto Família Legal, no Conselho Municipal de Turismo (COMTUR), Fundação Neotrópica e como Gestora das políticas públicas do Turismo.

Kátia nasceu em Campinas, interior de São Paulo, e reside em Bonito há 9 anos movida pela oportunidade de gerenciar o hotel.”Construímos o Hotel entre setembro de 1999 à outubro de 2002. Eu e 01 sócio, o Dr. Affonso Carneiro Fº. Após construído 2003 entrou na sociedade Dr. Aloisio Sartorato. O Pira Míuna foi inaugurado em 31 de outubro de 2002″, nos revela.

Localizado no centro de Bonito, o Hotel Pirá Miúna está numa área privilegiada de fácil acesso ao centro comercial da cidade.”Essa localização possibilita aos hóspedes “passear” pela cidade, lojas, bares, restaurantes e atrativos noturnos. Já nossa área de lazer com piscina, hidro massagem, churrasqueira e bar oferecem momentos de descontração para as familias e amigos”, diz Katia.

Outro diferencial de sua empresa é “ser um local aconchegante, descontraído, com equipe treinada para prestar atendimento de qualidade, e minha constante presença dando as boas vindas aos hóspedes e pessoalmente checando tudo para a satisfação e tranquilidade dos mesmos”.

Katia revela ao Portal Bonito Brazil sua impressão atual quanto ao turismo no destino, eleito pela décima vez consecutiva como o Melhor em Ecoturismo no Brasil. “Cada vez mais conhecido e procurado, Bonito é o sonho de viagem dos turistas do Brasil e do Mundo e está preparado para realizar com louvor a expectativa de cada um que por aqui passa. Costumo ler todas as impressões deixadas em nosso opinário no hotel e converso com meus hóspedes visando sempre o grau de satisfação com o destino como um todo e acredite: a grande maioria se surpreendem com a estrutura oferecida pela cidade e atrativos alem da suas belezas naturais”.

Para quem pretende passar as festas de fim de ano no destino é melhor antecipar-se para não correr o risco de não achar mais vagas nos hotéis e pousadas da cidade.

O Pira Míuna terá uma programação especial para o Réveillon 2012: “no dia 31 de dezembro, a partir das 19 às 21horas haverá um happy hour com farta mesa de frios, salgados,frutas, batidas e o clássico Espumante com música ao vivo e muita alegria incluso no pacote de reveillon”, nos conta Katia.

Conheça um pouco mais sobre nossa entrevistada de hoje na coluna “Quem Faz Bonito”:

Te Chamam de: Dona Katia Pirá Miúna

Nasceu em: 04 de março de 1952, em Campinas (SP)

Signo: Peixes

O que comeria todos os dias: Massa

Na sua cabeceira tem: Terço

Não sai de casa sem: Bolsa (com tudo, necessário ou não)

Adora ouvir: MPB e Sertanejo

Gosta de assistir: Filme romântico

O que te inspira: DEUS

Não vive sem: Amigos, família, animais de estimação e academia

Simplesmente inesquecível: Momentos antes da inauguração do Hotel, eu e a Marli (esposa do meu sócio) atravessamos a rua para olhar nossa “criança” e dissemos :”é muita areia pro nosso cominhãozinho”, com os olhos cheio de lágrimas…Sonho realizado!

O que faz nas horas de lazer: Reunimos nossa turminha (5 a 6 amigos) em casa ou algum lugar da cidade, para comer,beber, jogar, cantar ou festar

Melhor lugar que visitou: Bonito MS (antes de construir o Hotel, viemos 03 anos de férias seguidos)

Qual lugar gostaria de visitar: Lençóis Maranhenses

Qual foi uma experiência marcante que já vivenciou na natureza: Visitar imenso ninhal no Rio Vermelho em Miranda (MS) – experiência inesquecível… lindo

O que faz por Bonito: Participo ativamente da organização turística do destino em todos os seus aspectos: social, ambiental e cultural

Bonito para você é: Qualidade de vida! Minha casa, meu trabalho, minha vida. AMO BONITO. Sou muito feliz aqui!

Saiba mais sobre o trabalho de Katia no site: www.piramiunahotel.com.br

Leia Mais

Conheça Cícero Peralta

As belezas naturais de Bonito (MS) são responsáveis pela grande demanda de turistas que visitam o destino de ecoturismo, porém uma estrutura organizacional, programas que incentivam o turismo, entre outros, são de extrema importância para o desenvolvimento da região.

Um dos órgãos responsáveis pelo setor é o Conselho Municipal de Turismo de Bonito (MS) -COMTUR- que tem como um de seus objetivos desenvolver programas e projetos de interesse turístico visando incrementar o fluxo de turistas ao Município, através da Secretaria Municipal de Turismo, Indústria e Comércio.

Para falar um pouco mais sobre esse assunto a Coluna Quem Faz Bonito apresenta hoje (01), Cícero Ramos Peralta, Presidente do COMTUR. “Comecei no COMTUR em 2002, assim que retornei para morar na cidade. No início assistia às reuniões, depois fui suplente de conselheiro, conselheiro titular, vice presidente e atualmente presidente por 5 mandatos consecutivos”, nos conta.

Turismólogo por formação e Pós-Graduando em Gerenciamento de Micro e Pequenas Empresas, Cícero reside em Bonito em dois momentos distintos de sua vida. A primeira etapa quando era criança e mudou-se juntamente com sua família. “Morei em Bonito nos anos de 1963 até 1975 e de 2002 até os dias atuais”.

Desde seu primeiro mandato Cícero observou algumas modificações no turismo em Bonito. “Foi introduzida diversas mudanças e inovações no conselho, como a criação do Boletim Informativo; a elaboração do Calendário de Alta e Baixa Temporada para dois anos seguintes, já que antes era só para um ano; criação da comissão de feiras e eventos com planejamento de participação nas feiras. O COMTUR já era, mas atualmente está muito mais consolidado como referência nacional. Somos convidados com frequência para participar de eventos em diversos estados brasileiros para falarmos sobre o Conselho. Atualizamos o estatuto para corrigir algumas distorções e o conselho passou a ser um importante órgão de apoio à administração com sugestões e parceria, e muito mais”, diz Cícero.

Bonito, eleito pela décima vez consecutiva como o Melhor Destino de Ecoturismo do Brasil (Prêmio Revista Viagem e Turismo), atrai a cada ano um número expressivo de visitantes. Cícero ressalta que esse aumento é “fruto do trabalho de uma participação organizada em feiras e eventos, grande recebimento de visitas técnicas, da melhoria da infraestrutura, entre outros fatores, que aconteceram nesse período”.

Porém “a busca pela melhoria na área da qualificação, da infraestrutura e da super estrutura devem ser uma constante. Não pode parar nunca, pois temos um cliente cada vez mais exigente, mais ciente de seus direitos e a prestação dos serviços locais devem acompanhar esse fenômeno”, afirma Cícero quando questionado sobre o que pode ser melhorado no destino.

Além de Presidente do COMTUR, Cícero atua como agente de viagens e é proprietário da Pousada do Peralta “desde 03 de janeiro de 1994, quando adquiri o terreno”.  Incentivado pela oportunidade de mercado e visualizando que Bonito seria um importante destino turístico decidiu entrar no ramo da hotelaria.

Qualidade no atendimento. Esse é um dos diferenciais do seu empreendimento. “Apesar de pequena, a Pousada oferece qualidade de atendimento, ambiente muito agradável com muito verde, pássaros e espaço para crianças”.

A Pousada do Peralta possui 16 apartamentos e 54 leitos, sendo todos equipados com ar condicionado, tv parabólica, frigobar, internet sem fio e piscina, tudo isso a preços altamente competitivos.  Dspõe também de infra estrutura básica para motor home.

O silêncio característico do local só é quebrado pelo canto das aves que ali comparecem, principalmente araras e periquitos, que vem se alimentar muito próximo das dependências da pousada.

Conheça um pouco mais sobre nosso entrevistado de hoje na coluna “Quem Faz Bonito”:

Te Chamam de: Peralta

Nasceu em: 05 de dezembro de 1957

Signo: Sagitário

O que comeria todos os dias: Arroz e carne

Na sua cabeceira tem: Meu celular

Não sai de casa sem: Celular e carteira

Adora ouvir: Música sertaneja

Gosta de assistir: Futebol e Fórmula 1

O que te inspira: Trabalhar cada vez mais pelo crescimento de Bonito

Não vive sem: Minha família

Simplesmente inesquecível: Meu retorno à Bonito, após 26 anos morando em outras cidades

O que faz nas horas de lazer: Pesco

Melhor lugar que visitou: Entre tantos outros, Abrolhos (BA)

Qual lugar gostaria de visitar: Fernando de Noronha (PE)

Qual foi uma experiência marcante que já vivenciou na natureza: Dormir (e amanhecer) em plena mata amazônica, no município de São José do Xingu MT, não totalmente perdido, mas sim porque acabou a bateria da lanterna

O que faz por Bonito: Tudo o que estiver dentro de nossas possibilidades e do nosso conhecimento, para que o destino melhore cada vez mais, gerando mais emprego, renda e cidadania para nosso povo

Bonito para você é: Tudo. Um lugar mágico, que já deu e ainda vai nos dar muita alegria e orgulho!

Saiba mais sobre o trabalho de Cícero Peralta no site: www.pousadadoperalta.com.br

Até a próxima semana!

Leia Mais

Conheça Adriana da Bonito Way

Locutora, animadora e apresentadora de Rádio e TV e atualmente empresária no setor de turismo em Bonito (MS). Essas características mostram a versatilidade de nossa entrevistada de hoje (25) na Coluna Quem Faz Bonito, Adriana Merjan Caminha da Cruz. 

A empresária mudou-se para o destino de ecoturismo, seguindo os passos de seu pai. “Isso já faz 12 anos. Cheguei em Bonito para trabalhar na rádio e depois fui convidada a trabalhar em algumas empresas, me identifiquei e estou até hoje… Turismo é viciante…”, nos revela Adriana.

Proprietária da Bonito Way, agência de viagens especializada em turismo receptivo em Bonito e no Pantanal Sul, Adriana conta ao Portal Bonito Brazil que o turismo no destino surpreende cada vez mais. “Bonito tem crescido muito e está se consolidando cada vez mais. Procuro fazer sempre o melhor na minha empresa para que ela esteja em constante crescimento”, diz.

Porém Adriana ressalta que “o atendimento da Bonito Way não se limita a Bonito e Pantanal, somos especialistas no Estado do Mato Grosso do Sul – Bonito, Miranda, Corumbá, Porto Murtinho, Campo Grande, entre outros”.

Além de elaborar pacotes nacionais e internacionais, a empresa faz reservas de passeios, hospedagem, transporte terrestre, locação de veículos, passagem aérea e logística para eventos. “Temos um atendimento diferenciado para grupos de melhor idade, viagens de incentivo, grupos pedagógicos, viagens de lazer e negócios”, nos conta.

Na última semana, Bonito conquistou pela décima vez consecutiva o título de Melhor Destino de Ecoturismo do Brasil, um prêmio anual e elaborado pela Revista Viagem e Turismo, da Editora Abril. Adriana aproveita para deixar um recadinho para quem ainda tem alguma dúvida em conhecer esse santuário ecológico: “Bonito é um destino muito especial, aproveite suas férias com seus amigos e familiares de um modo bem diferente! Aqui todos aproveitam ao seu modo as belezas naturais, não importa a idade… Bonito é um destino muito democrático! Venha e tenha a certeza que terá férias agradáveis e inesquecíveis!”, conclui.

Conheça um pouco mais sobre nossa entrevistada de hoje na coluna “Quem Faz Bonito”:

Te Chamam de: Drika

Nasceu em: 28 de janeiro de 1979

Signo: Aquário

O que comeria todos os dias: Goiaba

Na sua cabeceira tem: Livros diversos

Não sai de casa sem: Celular

Adora ouvir: Djavan e Marisa Monte

Gosta de assistir: Filmes de comédia romântica

O que te inspira: Novos desafios e conquistas 

Não vive sem: Meu pai, meu marido e minhas filhas

Simplesmente inesquecível: A viagem realizada com a turma do tour da experiência para Bento Gonçalves

O que faz nas horas de lazer: Viajo 

Melhor lugar que visitou: Monte Fuji – Japão 

Qual lugar gostaria de visitar: Salar de Uyuni – Bolívia

Qual foi uma experiência marcante que já vivenciou na natureza: Estava fazendo um passeio de flutuação e vi uma anta passeando tranquilamente com seu filhote… inesquecível!

O que faz por Bonito: Divulgo o destino com foco sempre na qualidade

Bonito para você é: Show de Bola, tudo de bom… Bonito é único, é democrático, bom para todos os gostos, bom para todos os bolsos, ideal para você ter momentos inesquecíveis com sua familia, amigos… Bonito pra mim é tudo!

Para mais informações acessem: www.bonitoway.com.br  / www.bonitowaytur.blogspot.com

Até a próxima semana!

Leia Mais

Conheça Télcio Prieto da Bionúcleo

Essa semana a Coluna Quem faz Bonito apresenta hoje (18) um profissional que após sua formação acadêmica, aplica os ensinamentos para que as empresas do destino se qualifiquem, proporcionando sempre o melhor atendimento aos seus clientes.

Este é Télcio Prieto Barboza, Turismólogo (IESF-Bonito), Especialista em Gestão de Empresas com Ênfase em qualidade (UFLA/MG) e Acadêmico no Curso de Administração da UFMS Bonito.

Télcio nasceu e mudou-se de Bonito (MS) ainda pequeno. “Meus pais sempre trabalharam em fazendas no Pantanal do Nabileque (200 Km de Bonito) e nos mudamos para cidade quando meus irmãos e eu completamos a idade de ingressar na escola. Escolheram Bonito, por ser o acesso mais fácil a região do Nabileque. Assim, compraram casa e nos estabelecemos aqui. Bonito, sempre foi minha cidade!”, nos conta.

Atualmente, além de trabalhar esporadicamente com eventos na organização e como Mestre de Cerimônias, “ocasião em que conto com uma equipe que formamos nos tempos da Faculdade de Turismo”, diz. Télcio atua, também, desde 2006 como Consultor na empresa Bionúcleo.

“Na Bionúcleo desenvolvemos várias atividades de Consultoria em gestão ambiental e empresarial e também de treinamento, capacitação e desenvolvimento de competências para pessoas e grupos (equipes). Trabalhamos com planejamento empresarial, com pesquisas de mercado, controles internos, estratégias empresariais, gestão mercadológica, treinamento de pessoas em diversas áreas. Temos uma metodologia específica que chamamos de TEx. Bio (Treinamento Experiencial da Bionúcleo) que utiliza atividades lúdicas junto à natureza para treinamentos com foco em várias competências, conforme as necessidades identificadas na empresa/organização.

Além disso atuamos na gestão e planejamento ambiental para diversos empreendimentos, sempre com foco em conservação e desenvolvimento sustentável, procurando alinhar o crescimento econômico às melhores práticas ambientais.

Desenvolvemos trabalhos de planejamento de destinos turísticos atuando em áreas como Turismo e Meio Ambiente, além de condução de processos de planejamento participativo”,  finaliza.

Conheça um pouco mais sobre nosso entrevistado de hoje na coluna “Quem Faz Bonito”:

Te Chamam de: Bugre, Teófilo (nome de meu pai) ou preto

Nasceu em: 11/01/1977 em Bonito/MS

Signo: Capricórnio

O que comeria todos os dias: Massas

Na sua cabeceira tem: Em geral livros e revistas. Os temas e títulos dependem da ocasião

Não sai de casa sem: Celular

Adora ouvir: Gosto mais de Rock e Blues. Mas, não só disso…

Gosta de assistir: Telejornais, Filmes (ação, aventura, suspense), Documentários, Esportes

O que te inspira: A energia da natureza e novos desafios

Não vive sem: BOA! Difícil responder isso! Saúde eu acho

Simplesmente inesquecível: Nossa!!! Essa é difícil! Bom, vou escolher um momento. Trata-se de uma noite em que eu e meu avô vínhamos do Pantanal do Nabileque para Bonito e subindo a Serra da Bodoquena por volta de meia noite. Parei a caminhonete, descemos e ficamos contemplando o céu, que naquele momento se apresentava com um cenário de tempestade.
Foi incrível ver as nuvens negras, os raios (muitos raios) cortando o céu e a lua cheia surgindo em meio a este cenário, sobre os morros da Serra, ela brilhava demais e o vento era muito forte. Embora pudesse parecer assustador, ficamos ali olhando aquilo e sentindo a força, a energia da natureza, permanecemos contemplando por uns vinte minutos, até começar a chover. Ficamos em silêncio, só olhando! Depois subimos no carro e continuamos a viagem. Nunca me esqueço dessa noite! Foi lindo, havia muita energia ali e creio que meu avô também sentiu isso tudo! Emocionante! Talvez mais por conta da companhia dele! Especial!

O que faz nas horas de lazer: Basicamente e mais frequentemente, namoro, leio, namoro, assisto filmes, namoro, navego na internet, namoro, jogo futebol society

Melhor lugar que visitou: Serra Gaúcha (RS)

Qual lugar gostaria de visitar: Polinésia Francesa (Tahiti), França, Alemanaha, Nova Iorque, Nova Zelândia, Fernando de Noronha, Natal, Florianópolis, Rio de Janeiro, dentre outros

Qual foi uma experiência marcante que já vivenciou na natureza: Visita ao Abismo Anhumas em Bonito/MS. Rapel e Mergulho Autônomo. Experiência incrível! O lugar é simplesmente único!

O que faz por Bonito: Procuro, em minhas ações e meu trabalho, pensar no coletivo e no que é melhor para maioria dos envolvidos. Sempre que posso e tenho oportunidade, tento ajudar em ações ou projetos que beneficiem a cidade

Bonito para você é: Meu lugar no mundo!

Para mais informações acessem:www.bionucleobonitoms.blogspot.com/ e  www.bionucleo.com.br 

Até a próxima semana!

Leia Mais

Conheça Fabi Doblack – Diretora da Fundação Vida Bonito

Amanhã (12) comemora-se o Dia das Crianças e em homenagem a quem realiza algum tipo de trabalho em prol da juventude, a Coluna Quem Faz Bonito traz hoje entrevista com Josefina Camila Doblack, mais conhecida como Fabi, Diretora da Fundação Vida Bonito – Casa da Criança.

Residindo em Bonito (MS) há 17 anos, motivada pela oportunidade e qualidade de vida que o destino de ecoturismo proporciona, além de diretora da Fundação, Fabi é também proprietária da agência de viagens Muito Bonito.

Fundada em 10 dezembro de 2003, a Fundação  Vida Bonito – Casa da Criança é uma entidade sem fins lucrativos que tem como objetivo proteger, educar e ajudar na formação de crianças e adolescentes de 0 a 18 anos, em situação de risco.

Fabi nos conta que o que a motivou a trabalhar com os “pequenos” foram “Os beijos, abraços e os carinhos que recebo até da criança mais difícil”.

Atualmente cerca de 20 crianças residem na Fundação, e além de receberem assistência necessária para uma boa formação, recebem também assistência médica, psicológica e dentária. Tudo gratuito.

Elas participam também de atiidades fora da Instituição. “Por já viverem na casa todas as atividades desenvolvidas pelas crianças são feitas fora dela, nos programas sociais existentes em Bonito”, diz Fabi.

Para comemorar o Dia das Crianças deste ano será realizado um almoço especial para as crianças da Fundação.

Fabi aproveita para dar um recadinho: “A população de Bonito pode colaborar de todas as formas. Seja ajudando na divulgação, fazendo visitas ou doações!”.

Quem deseja contribuir pode obter mais informações pelo telefone: (67) 3255-1000.

Conheça um pouco mais sobre nossa entrevistada de hoje na coluna “Quem Faz Bonito”:

Te Chamam de: Fabi

Nasceu em: 04/06/1957

Signo: Gêmeos

O que comeria todos os dias: Arroz e feijão

Na sua cabeceira tem: Bagunça

Não sai de casa sem: Bolsa

Adora ouvir: Crianças falando e cantando

Gosta de assistir: Novela, filme de comédia, desenho animado e filme de época

O que te inspira: Deus

Não vive sem: Criança

Simplesmente inesquecível: O dia do meu casamento, porque foi cômico

O que faz nas horas de lazer: Cuido de crianças

Melhor lugar que visitou: Não digo que foi o melhor que visitei, mas o que mais me impressionou foi Roma

Qual lugar gostaria de visitar: Porto Maldonado, Peru

Qual foi uma experiência marcante que já vivenciou na natureza: O dia que tive que correr de uma boiada com um monte de crianças, e outra vez atravessar um córrego sem saber nadar e garantir que nenhuma criança se afogaria

O que faz por Bonito: O que estiver ao meu alcance

Bonito para você é: Ainda um lugar bom de se viver!

Até a próxima semana!

Leia Mais