Conheça Daniel De Granville

Fotografar a natureza consiste em retratar fenômenos e agentes naturais como animais, plantas ou paisagens, capturando toda a sua essência. Para falar um pouco mais sobre essa arte, a coluna Quem Faz Bonito apresenta Daniel De Granville Manço, Biólogo formado pela Universidade de São Paulo (USP) com pós-graduação em Jornalismo Científico pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

O interesse pela fotografia teve início na vida de Daniel De Granville após uma experiência profissional no Pantanal. “A principal razão que me levou a encarar a fotografia mais a sério foi o primeiro período em que vivi no Pantanal (1994 a 1999), onde trabalhei como guia para fotógrafos profissionais de várias partes do mundo, como os brasileiros Haroldo Palo Jr., Araquém Alcântara, Fábio Colombini e Valdemir Cunha. Durante as saídas a campo, batíamos papo sobre técnicas fotográficas, dicas de equipamentos e o fascínio em registrar momentos tão especiais junto à natureza, o que – em conjunto com a exuberância da região – foram me influenciando”, nos conta.

Em 1999, Daniel mudou-se para Bonito atraído pela oportunidade de continuar trabalhando com o ecoturismo em Mato Grosso do Sul e no mesmo ano aconteceu sua primeira expedição fotográfica – acompanhada de exposições com fotos de sua autoria. “Realizei uma viagem de bicicleta de 4 meses e mais de 4.000 km entre Vitória (ES) a São Luís (MA) junto com a minha então namorada e atual esposa Tietta Pivatto e mais os amigos Guto Bertagnolli e Marcos Violante”.

San Martin de Los Andes (Argentina), Raleigh (EUA), Banner Elk (EUA), Munique (Alemanha), São Paulo (SP), Bonito (MS) e São José do Rio Preto (SP) são as cidades que já foram contempladas com as exposições fotográficas de Daniel De Granville. O público presente nesses eventos teve a oportunidade de sentir a emoção capturada pelas lentes do fotógrafo. “Tento transmitir um pouco da emoção que sinto ao ter a certeza de que fiz a imagem que queria, buscando desta forma sensibilizar os visitantes e torná-los aliados na nossa busca por um mundo onde as coisas da natureza sejam mais valorizadas e respeitadas”. afirma. Porém ele não apenas tenta, e sim consegue passar essa mensagem em suas imagens.

Porém como em toda profissão, ser fotógrafo de natureza  possui fatores que influenciam diretamente no resultado do trabalho, seja positivamente como negativamente. Daniel citou alguns desses fatores: “Pontos negativos seriam as condições adversas sob as quais tenho que trabalhar, como as longas e constantes viagens, o forte calor, chuvas, carrapatos e mosquitos que fazem parte do trabalho em ambientes naturais. Outro aspecto é que a profissão ainda é pouco valorizada no Brasil, o mercado não paga adequadamente e os equipamentos são muito caros”.

“A oportunidade de estar sempre junto à natureza, testemunhando e registrando momentos raros e marcantes do comportamento animal, por exemplo. Também, a possibilidade de sensibilizar e conscientizar as pessoas sobre a importância de conservar nossos ambientes naturais e buscar um modo de vida mais sustentável”. Esses são os pontos positivos citados pelo profissional.

Ao longo de sua carreira, Daniel nos revela as mudanças observadas no destino de ecoturismo sul-mato-grossense. “Felizmente, em termos gerais noto que a natureza na região tem mudado para melhor, com o aumento de unidades de conservação (como as RPPNs e o Parque Nacional da Serra da Bodoquena, além de outras áreas não oficiais) e maior valorização das coisas naturais pelos proprietários rurais, empresários e gestores públicos. Claro que temos problemas ambientais, alguns bastante sérios, mas no geral considero que a natureza tem sido mais bem cuidada aqui do que em outras partes do Estado e do Brasil”.

Atualmente Daniel De Granville é Sócio e diretor da Photo in Natura, empresa que desenvolve serviços e produtos relacionados ao meio ambiente, onde atua principalmente como fotógrafo, instrutor em cursos de capacitação profissional e guia de ecoturismo para públicos de interesses especiais. E presta também, serviços de tradução e consultoria.

Com a  finalidade de transmitir seus conhecimentos, começou em 2007 a ministrar curso de capacitação profissional para interessados em aprender a fazer bons registros. “Eu e a Tietta atuamos há bastante tempo como instrutores em cursos de treinamento para guias de turismo, empreendedores e interessados na natureza em geral. Como o mercado para venda de fotografias está cada vez mais concorrido, imaginei que deveríamos buscar um novo espaço, aproveitando meus conhecimentos e experiência na área. Afinal, está cada vez mais fácil comprar bons equipamentos e o ato de fotografar popularizou-se imensamente com a tecnologia digital e a internet. Assim surgiram os cursos, pensando na quantidade de pessoas que querem aprender a explorar o máximo de suas câmeras e a fotografar melhor. O primeiro que ministrei – na realidade um mini-curso – foi em 2007, durante o 2º Encontro Brasileiro de Observação de Aves (AvistarBrasil), em São Paulo”.

Em maio deste ano, ministrou em Campo Grande (MS) o “Curso de Fotografia de Natureza”, entretanto ele nos revela que os alunos, além de aprender as técnicas, se desligam da correria do dia a dia e se sintonizam por completo com os ambientes naturais. “O curso em Campo Grande, foi muito elogiado pelos participantes. O interessante é que, além do óbvio aprendizado sobre fotografia, a atividade pode vir a gerar uma transformação pessoal que ultrapassa a simples técnica de fotografar”, diz.

Em novembro Daniel ministrará em San Martín de los Andes (Patagônia – Argentina) o Curso de Introdução à Fotografia de Natureza, durante a “Feria de Aves de Sudamérica” e ressalta que algo deve ser preparado para o Brasil em 2012.

Pa finalizar o fotógrafo de natureza deixa um recado para quem pretende exercer a profissão: “É fundamental gostar da natureza e dos desafios que ela impõe, além de ter uma postura extremamente correta e ética com relação aos ambientes naturais. Também julgo importante sempre investir em equipamentos e em qualificação profissional, ter uma boa rede de contatos e ficar antenado nas novas tecnologias e mídias”.

Conheça um pouco mais sobre nosso entrevistado de hoje na coluna “Quem Faz Bonito”:

Te chamam de: Geralmente só “Daniel” mesmo, alguns amigos preferem “Granville” ou “De Granville”.

Nasceu em: Ribeirão Preto (SP), no dia 26 de setembro de 1969 (no mesmo dia em que os Beatles lançaram seu antológico disco “Abbey Road” e pouco mais de 2 meses após o homem pisar na Lua).

Signo: Libra.

Comeria todos os dias: Castanha de caju.

Na sua cabeceira tem: Uma lanterna, um iPod e geralmente dois ou três livros técnicos de temas variados, dos quais costumo ler trechos intercalados e fora da sequência das páginas. 

Não sai de casa sem: Minha câmera fotográfica, claro!

Adora ouvir: os sons da natureza, principalmente no início da manhã e a transição sonora quando a noite vai
chegando. Em termos de música, o gosto é muito variado, desde rock, reggae, blues, MPB, música clássica e umas coisas mais alternativas que não dá pra rotular. 

Gosta de assistir: Filmes inteligentes, shows e documentários sobre vida selvagem.

O que te inspira: Viver e trabalhar em um lugar tranquilo, rodeado de árvores e bichos.

Não vive sem: Uma caixa de ferramentas e outra de tranqueiras com as quais posso consertar ou inventar coisas.

Simplesmente inesquecível: A primeira viagem de ecoturismo que fiz para as cavernas do PETAR (SP), a convite de um professor de biologia, quando ainda estava no colegial. 

Lazer: Saio com amigos, assisto filmes com a Tietta ou fico inventando equipamentos fotográficos alternativos que me permitam obter imagens diferentes e criativas.

Melhor lugar que visitou: Pantanal, sempre!

Qual lugar gostaria de visitar: Os famosos parques africanos.

Qual foi uma experiência marcante que já vivenciou na natureza: Os mergulhos com “Ari”, a ariranha que durante alguns meses apareceu no Rio Olho d`Água, no Recanto Ecológico Rio da Prata. 

O que faz por Bonito: Além de ações em casa, como separação dos resíduos recicláveis, compostagem e uso racional de água e eletricidade, sempre que possível colaboro com as ONGs locais e órgãos públicos municipais cedendo minhas fotos para divulgação de nossas belezas naturais. Também sou um compartilhador de conhecimentos, sempre disposto a colaborar quando alguém daqui precisa de alguma informação ou ajuda pessoal ou profissional. 

Bonito para você é: Uma cidade que alia tranquilidade, natureza protegida, pessoas bacanas, diversidade e um setor de serviços bastante completo para um município desse porte. Alguns problemas mais sérios começam a surgir, e considero que este é o momento para a população e o poder público agirem enquanto a cidade é pequena…

Visite o Blog: blog.photoinnatura.com  e se encante com o trabalho de Daniel De Granville!

Até a próxima semana!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>