Conheça Marcos Violante

Na próxima semana, a cidade de Bonito (MS) sediará o Curso de Primeiros Socorros e Salvamento Aquático direcionado especialmente aos Guias de Turismo. Esse foi um dos motivos que nos inspirou a realizar a entrevista dessa semana com Marcos Augusto Violante, formado em Ciências Biológicas pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP- USP).

Residindo em Bonito (MS) há mais de 10 anos, Marcos atua como guia de turismo (bilíngüe) nos destinos de Bonito e Pantanal e integra a parte operacional de viagens para algumas operadoras de outros estados.

Foi o primeiro profissional a se inscrever no Curso de Primeiros Socorros e ressalta a importância em estar sempre se atualizando. “Acho importante estar sempre reciclando conhecimentos relacionados aos procedimentos de salvamento aquático e primeiros socorros. Rever esses procedimentos é imprescindível para podermos tomar atitudes corretas e rápidas em situações de emergência, que podem ocorrer a qualquer momento no dia-a-dia de nossa profissão de guia”.

Conheça um pouco mais sobre nosso entrevistado de hoje (24) na coluna “Quem Faz Bonito”:

Te chamam de: Dependendo do círculo de amigos me chamam de Marquinhos, Marcão ou Marcos Pitangueiras, referente ao tempo que eu trabalhava na Fazenda Pitangueiras com ecoturismo

Nasceu em: 13/01/1970, em Limeira interior de São Paulo

Signo: Capricórnio

Comeria todos os dias: Peixe de água salgada e frutos do mar …..acabo só passando vontade !!

Na sua cabeceira tem: No momento um livro escrito por um guia que trabalhou na África com safáris – “Whatever You Do, Don`t Run !”; que significa : ” O que quer que você faça, não corra”. O título refere-se a um comportamento não muito apropriado em caso de encontro com animais selvagens, como um leão por exemplo

Não sai de casa sem: Acho que esse item deve ser meu celular, apesar de que não gosto muito de ser refém desse equipamento.

Adora ouvir: Sou eclético quanto a preferências musicais. Ouço MPB, Reggae,  Blues, mas diria que gosto bastante de Classic Rock, que é um estilo de rock tocado por bandas dos anos 70, como Led Zeppelin, Animals, Deep Purple e outras

Gosta de assistir: Seriado “A Grande Família” e o programa CQC

O que te inspira: Estar em contato com a natureza em locais bastante selvagens, longe de qualquer sinal da presença do homem

Não vive sem: Não consigo viver sem praticar esportes. Os laços familiares e o convívio com amigos também são imprescindíveis

Simplesmente inesquecível: Ter tido a chance de morar durante 3 anos no Pantanal, o que me possibilitou além de aprender sobre a ecologia desse ambiente,  poder ter convivido com comunidades locais e aprender  sobre suas culturas

Lazer: Fazer trilhas de bike nos arredores de Bonito e jogar tenis.

Melhor lugar que visitou: Difícil escolher um apenas, porém recentemente a África do Sul durante a Copa do Mundo está entre os “tops”.

Qual lugar gostaria de visitar: Atualmente, assim como um desejo mais pé-no-chão: a trilha de mountain bike na Bolívia conhecida como Estrada da Morte. Já sonhando um pouco mais: a região chamada Delta do Okavango em Botswana no continente africano.

Qual uma experiência marcante que já vivenciou na natureza: Estava sozinho caminhando numa trilha na beira de uma baia no Pantanal, longe da sede da fazenda e tive um encontro com uma suçuarana enorme caminhando na minha frente. Foi o suficiente para acelerar o batimento cardíaco e arrepiar os pêlos. Por sorte ela resolveu continuar seu rumo sem se importar comigo

O que faz por Bonito: Ambientalmente eu separo meu lixo seco do orgânico, não queimo material oriundo de podas em casa e não jogo lixo em nenhum local impróprio. No trabalho, estou sempre divulgando a cidade como um destino ecoturístico que pode ser considerado como modelo de sustentabilidade no Brasil. Também sempre tento convencer os visitantes que esse destino não é caro, estigma esse bastante difundido por aqueles que visitam a cidade, mas sim um local onde se paga um valor justo pela alta qualidade de atendimento recebida. Digo ainda que e isso que propicia uma remuneração mais próxima do ideal para todos os trabalhadores envolvidos direta e indiretamente nessa atividade. É como se fosse o sistema “fair trade”, que foi um selo criado em alguns países da Europa para produtos que são comprados dos produtores por preços justos.

Socialmente não tenho feito muito devido a vida sem rotina que um guia leva, mas é algo que ainda gostaria de fazer, como algum trabalho voluntário esporadicamente.

Bonito para você é: É uma região onde existem rios de beleza cênica inigualáveis. As pessoas visitam Bonito a fim de ter um contato mais próximo com a natureza e acabam respeitando e valorizando mais o meio ambiente, em parte por causa do trabalho de conscientização feito pelos guias. Existe ainda a chance de que esses visitantes, mais sensibilizados após essa experiência, acabem se tornando defensores da causa ambiental onde quer que vivam. Bonito acaba sendo então um centro de educação ambiental para muitos brasileiros que não tem ou nunca tiveram um contato mais íntimo com a natureza.

Até a próxima semana!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>