DNA mitocondrial no combate ao comércio ilegal de aves silvestres

Pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, desenvolveram uma tecnologia para o rastreamento de aves a partir de testes de DNA mitocondrial.

Segundo os autores do estudo o método vai ajudar a inibir o comércio ilegal de árvores. Será emitido um certificado com uma etiqueta de DNA, com o nome, espécie, histórico, características físicas da ave, entre outras informações. A pesquisa é coordenada pelo professor do Instituto de Ciências Biológicas, Fabrício dos Santos.

Com esses dados, será possível comprovar se o animal nasceu em cativeiro e pode, então, ser comercializado. No Brasil, a comercialização de animais silvestres só é permitida caso tenham nascido em cativeiros aprovados pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis, Ibama.

A tecnologia complementa os sistemas de controle atuais e não exclui a necessidade de uso de anilhas. “Trata-se de uma demanda dos próprios criatórios interessados em certificar de modo mais eficaz os animais que comercializam, de coibir as fraudes e de se diferenciarem no mercado”, explicou o coordenador.

O sistema tem como base o DNA extraído das mitocôndrias, uma das partes que compõem as células. O DNA carrega a marca da linhagem da matriz das fêmeas, que são passadas aos filhotes.

Com informações da UFMG

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>