EcoEspaço leva a conscientização ambiental ao FestinBonito

A 9ª edição do Festival de Inverno de Bonito traz como novidade o EcoEspaço, que vai funcionar como a sede do projeto Reciclando Cultura, que pretende, através da arte, levantar questões como a deteriorização do planeta sob a ótica do desperdício, o não aproveitamento máximo dos produtos que a sociedade produz, o impacto do lixo no dia-a-dia e a mudança de atitude para a ação ecológica.

No Eco Espaço estarão expostas obras do fotógrafo e documentarista Marcos Prado. Ele foi diretor dos filmes “Estamira” como “Os Carvoeiros” e atuou como produtor de “Ônibus 174″ e “Tropa de Elite”.

Marcos Prado recebeu diversos prêmios nacionais e internacionais, entre eles o Focus on Your World 92, da ONU. As imagens que compõem a exposição fazem parte de seu segundo livro, Jardim Gramacho, resultado de um ensaio fotográfico de 11 anos no lixão de Caxias. Premiado, em 1996, com o IX Prêmio Marc Ferrez de Fotografia, o livro teve seu lançamento em março de 2005.

Em todos os dias do festival, irão acontecer no EcoEspaço as oficinas de reciclagem de lixo “O Lixo e o Lúdico” e “Caminhos do Papelão”, das 10 às 22 horas.

Na oficina “O Lixo e o Lúdico, o instrumentista Décio Rocha usa o lixo e o transforma. Os brinquedos de Décio Rocha usam a matéria-prima negada para criar elementos simples, como a própria inocência da brincadeira. Carrinhos, bonecos, naves espaciais surgem das latas, das garrafas, de um fio, do imaginário.

Instrumentista e compositor, Décio Rocha, que tem como diferencial maior na sua obra a construção de seus próprios instrumentos, vai promover a oficina “Instrumentos Reciclados”, dia 31 de julho, às 14 horas. Na ocasião, o lixo vai ser utilizado como matéria prima na composição de novos instrumentos e por meio deles é que são criadas sonoridades originais. Metrola, Rochimbau e Bâima são alguns dos nomes inusitados com que Décio batizou os instrumentos que, ao longo de sua carreira, foram incorporados aos shows e discos do artista.

Décio fará ainda um show instrumental, no local, no dia 30 de julho, às 21 horas. Após iniciar carreira em Olinda, Décio Rocha solidificou seu nome até chegar à “Banda de Pau e Corda”, uma das mais importantes da cena pernambucana. Em São Paulo, atuou como baixista junto a nomes como Zeca Baleiro, Suba, Chico César, Rita Ribeiro, entre outros. Partiu para seu trabalho autoral e a criação de seus instrumentos. Em seu show, Décio apresenta composições instrumentais levando o público a experimentar diferentes sensações, transmitindo a emoção de cada composição com uma sonoridade muito especial.

A oficina Caminhos do Papelão será ministrada pelo escultor carioca Sérgio Cezar. Filho de porteiro e empregada doméstica, Sérgio começou a transformar sucata ainda moleque. Com o tempo, desenvolveu uma técnica toda especial que hoje encanta muita gente. Sérgio revela poesia e brasilidade, além de originalidade e talento.

A matéria prima de suas instalações e esculturas é o lixo. De entulhos e sucatas, ele é capaz de reconstruir artisticamente casinhas, sobrados, morros inteiros. Suas obras ricas em detalhes contam histórias, revelam o que muitas vezes nossos olhos já não podem ver. As esculturas são vivas, iluminadas e com vozes. Pura transformação.

Para promover a conscientização ambiental, no EcoEspaço serão promovidas palestras em parceria com a Fundação Neotrópica do Brasil.

Fonte: MS Notícias




 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>