Empresa de Turismo de Aventura conquista certificado SGS

A empresa de referência no Brasil para turismo de aventura e natureza, Alaya Expedições, localizada na cidade de Brotas (SP), acabou de ser certificada em Sistema de Gestão da Segurança conforme a norma ABNT 15.331. Esta norma faz parte de um conjunto de 23 normas técnicas para turismo de aventura, publicadas pela ABNT nos últimos três anos.

Esta é uma das ações do Programa Aventura Segura do Ministério do Turismo e do SEBRAE Nacional, aplicado em quase 200 empresas do segmento, pela ABETA (Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura).

A certificação da Alaya Expedições foi feita pela Falcão Bauer. Com mais de 50 anos de atividades, as empresas do Grupo Falcão Bauer prestam serviços de controle de qualidade para uma grande variedade de segmentos. Pela primeira vez estava certificando uma empresa de turismo de aventura por isso a auditoria foi acompanhada por especialistas do Inmetro que validaram a metodologia.

A auditoria consiste em exame minucioso de toda a documentação do sistema de gestão da empresa e de uma amostra das atividades a serem certificadas. Foram três dias de auditoria para certificar as atividades de rafting, arvorismo e tirolesa, o que representa 80% da oferta de produtos da Alaya.

 “Foi importante ter um escopo vasto de produtos certificados para colocar o sistema de gestão no coração da empresa. Hoje não temos condição de funcionar sem o nosso SGS” diz Jean-Claude Razel, fundador da Alaya.

Não foi tarefa fácil implantar o sistema de Gestão da Segurança na empresa. “Num mercado jovem, com funcionários de pouca experiência profissional, foi um verdadeiro desafio implantar o sistema, principalmente na parte de documentação que tem como objetivo estabelecer um verdadeiro processo de melhoria continua nas operações” reforça Arilson da Silva, responsável pela implantação do SGS na Alaya.

Os benefícios para a empresa já são notáveis na parte operacional. Resta a validar essa conquista com os clientes. “A grande incógnita agora é de saber se os clientes vão valorizar este tipo de diferencial e se vão aceitar pagar mais caro por isso. A empresa teve um aumento de custo para montar o SGS. Durante a temporada 2009-2010 vamos ver se poderemos repercutir isto no preço de venda”, diz Gustavo Lemmi, Diretor Comercial da Alaya.

Fonte: Assessoria Alaya

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *