Estação Bolicho guarda memórias da era ferroviária de Mato Grosso do Sul

O Jornal Correio do Estado, publicou ontem (12) uma reportagem especial sobre a Estação Bolicho, localizada no km 43 do ramal Campo Grande- Ponta Porã da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil.

O texto, escrito pela jornalista Montezuma Cruz, traz detalhes dos esforços do comerciante Almir Vieira Pereira para manter a integridade da estrutura, ou o resto que sobrou dela, após algumas depredações.

Veja abaixo trechos do texto:

“Esse símbolo da era ferroviária, cujo auge se deu bem antes da divisão do Estado de Mato Grosso do Sul, resiste ao tempo e ao vandalismo graças à abnegação e ao respeito à história demonstrados pelo comerciante Almir Vieira Pereira, nascido e criado na região. As demais estações foram invadidas, depredadas e depois destruídas…”

Almir diz que “em 1985 recebeu o terreno em comodato; nem me lembro quantos mil cruzeiros gastei para recuperar alguma coisa”, revelou à jornalista.

“Da posse do terreno de dois hectares, no qual estão edificadas a estação, a casa da gerência, dois grandes pés de jenipappo e um velho e troncudo eucalipto nativo. Ajeitou a casa, cujas paredes invadiam a faixa de segurança”.

Almir possui um bar e restaurante no Km 388 da MS-060, o Bolicho, e faz parte do Programa Parada Legal, cujo objetivo é qualificar os serviços em estabelecimentos que oferecem alimentação ao longo das rodovias do Estado de Mato Grosso do Sul.

Leia a reportagem na íntegra no jornal Correio do Estado – página 8a!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>