Fotógrafo Subaquático visita atrativo turístico em Jardim

O Recanto Ecológico Rio da Prata, atrativo localizado em Jardim (MS), recebeu nos dias 10 e 11 a visita do fotógrafo subaquático suiço, Michel Roggo que esteve acompanhado por seu amigo e assistente, Daniel Buergy.

Durante o passeio a dupla teve a companhia do guia de turismo bilíngue, Marcos Augusto Violante, que nos informou que o motivo da viagem ao destino de ecoturismo faz parte do último projeto em andamento de Michel Roggo, chamado “The Fresh Water Project” (O Projeto Água Doce), baseado nas pressões que o planeta sofre e sofrerá no futuro com relação a oferta e conservação de água doce.

“O projeto consiste em visitar 30 localidades de ambientes de água doce ao redor do mundo, que sejam interessantes, bonitas e importantes ecologicamente. Algumas dessas localidades escolhidas são Green Land na Dinamarca, Lago Baical na Sibéria (Rússia), Lago Malau no Moçambique entre outras regiões. Já no Brasil, Roggo visitará destinos como Rio Negro na Amazônia, Pantanal e Bonito, o qual ocupa a 11º posição no seu próprio ranking de seus “must-see-places”, onde ele registrará as belezas de cada lugar através de fotos sub”, nos revela Marcos Violante.

A partir de janeiro as fotos da primeira visita à Bonito e região estarão disponíveis no site: www.roggo.ch . No local há um link para o site de seu projeto “The Fresh Water Project” onde podem ser vistas algumas imagens de localidades já visitadas.

Marcos passou um relato sobre o início da atividade de fotografia na vida de Minchel Roggo. Confira:

Michel era um professor de ciências no ensino médio na Suiça. Com 30 anos iniciou na arte de fotografia de natureza. Depois de ver os salmões no Alaska, durante uma de suas expedições fotográficas, ficou tão admirado com esses espéciemes, que se interessou em fotografá-los. Acabou se especializando em fotos de ambientes aquáticos de água doce.

Como ele preferia fazer suas expedições solitárias na natureza, o que o impossibilitava de carregar muito peso, não permitindo que levasse consigo equipamento de mergulho, acabou desenvolvendo um método próprio de fotografar ambientes aquáticos de fora da água com uma ferramenta mais conhecida como “pole cam”, que consiste numa câmera fotográfica a prova d`água acoplada ao fim de um longo cabo, a qual pode ser acionada de maneira remota, técnica essa a qual ele se considera um dos pioneiros em fotos sub(sub-aquática) por volta de 30 anos atrás.

Curiosamente Michel Roggo nunca havia entrado na água para fazer suas imagens, até esse ano (2011), quando decidiu começar a fotografar fazendo apenas mergulho de apneia, ou seja, sem equipamento de mergulho autônomo, descobrindo mais um prazer até então inédito em toda a sua vida de fotógrafo. Levemente irônico, Michel diz que agora terá que fotografar outros 30 anos de sua vida embaixo d`água.

Já fez mais de 100 viagens pelo mundo, sendo algumas delas para destinos repetidos. Foi a Amazônia  7 vezes totalizando aproximadamente  7 meses de permanência naquele ambiente.

Nessa viagem a Bonito ele veio acompanhando de seu amigo e assistente Daniel Buergy, um engenheiro de computadores, também suíço com 50 anos de idade e não menos aventureiro, pois já conheceu, todos os países da Europa através de sucessivas viagens de motocicleta e atualmente e praticante de Triátlon Olímpico.

Com informações Marcos Violante

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>