Observação de animais atrai turistas para Bonito e Pantanal

Para conseguir observar animais é necessário estar munido de binóculos e ter muita paciência . O turismo contemplativo pode, em princípio, não soar tão emocionante. Mas, uma vez no meio da mata, do rio ou do mar, a audição fica mais apurada, orienta a visão em busca das cores mais vibrantes ou do canto mais curioso e explica por que as pessoas viajam grandes distâncias para ver bichos de perto. Confira alguns locais onde é possível praticar essa atividade:

Bonito, Mato Grosso do Sul

Dourado, piraputanga, curimbatá, piau, pacu, canivete, cascudo, lambari, pintado e cachara são algumas espécies de peixes que você pode encontrar no mergulho com cilindro no Recanto Ecológico Rio da Prata, localizado em Jardim próximo a Bonito, no Mato Grosso do Sul.

Qualquer pessoa com mais de 10 anos, experiente ou não em mergulho, pode desfrutar do passeio aquático, que dura cerca de 40 minutos e conta sempre com guia especializado.

Depois de flutuar por aproximadamente 600 metros em não mais de oito metros de profundidade, a impressão é de ter visitado um grande aquário natural. Além do Rio da Prata, Bonito oferece ainda o Rio Formoso, a Lagoa Misteriosa e o Abismo Anhumas para os amantes da vida submarina.

Pantanal

O Pantanal Matogrossense é o verdadeiro paraíso para quem pretende ver animais in natura no Brasil, com 698 espécies de pássaros, 80 de mamíferos, 260 de peixes e 50 de répteis. O animal mais popular por ali é o jacaré: há 40 deles para cada pessoa na região, de longe a maior relação bicho por homem do destino. São tantos que o Ibama controla o número dos que nascem em cativeiro para não superlotar o espaço e causar desequilíbrio ecológico.

Para vê-los, não é preciso muito esforço. Percorrendo a Transpantaneira, estrada que corta a região de norte a sul, vê-se que estão por toda parte. Basta olhar para uma poça de água, um lago ou uma parte mais alagada. Às vezes escondem-se no meio das folhas aquáticas, mas no geral são bem exibidos e pacíficos. Atacam somente sob ameaça e convivem harmoniosamente lado a lado com capivaras e passarinhos.

Por Carla Layane

Com informações Terra Turismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>