Projeto busca reduzir custos da recuperação florestal em Bonito

O evento de encerramento do Projeto Matas Ciliares, realizado no dia 19 de fevereiro na Pousada Águas de Bonito, marcou a finalização da pesquisa que estava sendo desenvolvida a dois anos na microbacia do rio Mimoso pelo Instituto das Águas da Serra da Bodoquena – IASB. O objetivo da pesquisa foi avaliar 5 alternativas de recuperação de matas ciliares quanto ao custo e à eficiência ecológica de cada uma. Assim, este projeto deu o primeiro passo para reduzir os custos da recuperação florestal, proporcionando maiores opções em relação à recuperação, para que o produtor possa escolher qual a mais adequada à sua propriedade e à sua realidade financeira.

Durante a reunião, que contou com cerca de 80 pessoas, foram apresentadas as principais atividades realizadas no período da pesquisa e os principais resultados encontrados. Dentre os resultados sobre a alternativa de recuperação com baixo custo e rapidez no desenvolvimento das plantas, destacou-se a semeadura direta, que consiste no plantio de sementes nativas diretamente no solo.

Os participantes do evento consideraram a iniciativa louvável. Produtores rurais presentes comentaram sobre motivos que levaram à degradação das florestas e a necessidade e pressão para a recuperação nos dias de hoje: “Há 20 anos existia uma pressão muito grande por produção, senão as terras eram consideradas improdutivas… Hoje, com a mudança da legislação, aumentando a faixa de proteção, o proprietário se tornou o bandido, pagando multa em situação ilegal”. Por isso, muitos consideraram a proposta como o primeiro passo para ajudar os produtores rurais sobre a questão ambiental, destacando que muito ainda precisa ser feito, mas que: “…é a partir de ações assim que se conhece os custos e por causa desta pesquisa outros projetos virão. O projeto Matas Ciliares mostrou que dá para fazer, agora temos que dar o segundo passo”.

Para estimular produtores rurais a iniciar a recuperação em sua propriedade, as informações obtidas pelo projeto foram disponibilizadas na cartilha “Cuidando das Águas e Matas do Rio Mimoso”, lançada durante o evento. A cartilha tem a função de instrumentar os proprietários com informações da bacia do Mimoso, a legislação ambiental vigente e como fazer a recuperação das matas ciliares a partir das alternativas pesquisadas pelo projeto Matas Ciliares. Para enfatizar esta ação foi entregue aos participantes, juntamente com a cartilha, uma muda de espécie nativa e um saquinho de sementes da Campanha Faça sua Parte. Com esta atitude o projeto teve a intenção de incentivar os participantes a dar o “segundo passo” e assim, reforçar o grande ganho do projeto que é servir de estímulo para aumentar significativamente a quantidade de áreas em recuperação no município de Bonito.

O Projeto Matas Ciliares foi patrocinado pela Petrobras, através do Programa Petrobras Ambiental e contou com a parceria do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade – ICMBio (Escritório do Parque Nacional da Serra da Bodoquena), da Prefeitura Municipal de Bonito, através da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, do Sindicato Rural de Bonito, da Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural – AGRAER e da Associação dos Atrativos Turísticos de Bonito e Região – ATRATUR. As mudas doadas durante o evento foram disponibilizadas pelo viveiro da RPPN Rio da Prata, localizado em Jardim/MS.

Fonte: IASB

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>