Simpan 2010

O conhecimento científico, desenvolvido em parceria, será fundamental para o futuro do Pantanal. Foi o que disse a chefe geral da Embrapa Pantanal, Emiko Kawakami de Resende, na abertura do 5º Simpan (Simpósio sobre Recursos Naturais e Socioeconômicos do Pantanal) na noite desta terça-feira, dia 9. O evento acontece até sexta (12) no Centro de Convenções de Corumbá.

A abertura atraiu parceiros, convidados e público em geral. Estiveram presentes o vice-prefeito de Corumbá, Ricardo Eboli; o prefeito de Ladário, José Antônio Assad e Faria, secretários municipais, vereadores, representantes da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) e do ICS (Instituto de Comunicação Social) do Brasil.

A cerimônia teve a apresentação cultural de 13 integrantes do grupo de dança da Fundação de Cultura e Turismo do Pantanal, que mostraram coreografia de Joilson Cruz. Elas usavam vestidos pintados à mão, representando a fauna, a flora e outras belezas da região.

Emiko Resende disse ainda que o Simpan é a celebração do conhecimento e das tecnologias voltadas ao desenvolvimento sustentável do Pantanal. Citou reportagem do jornal inglês The Economist, publicada em agosto, que aponta a Embrapa como responsável pelo fantástico crescimento de 365% da produção agropecuária brasileira, entre 1996 e 2006. Esse aumento se deve especialmente às tecnologias para o desenvolvimento do Cerrado.

A contribuição que a Embrapa Pantanal vem oferecendo à formulação de políticas públicas também foi lembrada pela chefe geral. Como exemplo, ela citou o novo Código Florestal Brasileiro, o grupo interministerial que trabalha na recuperação do rio Taquari e a recente Lei da Pesca do Mato Grosso do Sul, aprovada neste ano.

Ela falou também sobre tecnologias geradas pela Embrapa Pantanal (Corumbá-MS), Unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, das demandas de pesquisa que surgem a todo o momento e dos resultados de pesquisas com potencial para serem transferidos para outras regiões, inclusive fora do Brasil.

Emiko lembrou ainda que a grande maioria dos brasileiros que vive em centros urbanos depende do alimento produzido no campo. Esse é um dos motivos pelos quais os agricultores devem ser respeitados e admirados.

HOMENAGENS
Ainda na solenidade de abertura, o Simpan homenageou duas personalidades consideradas muito importantes para o desenvolvimento sustentável do Pantanal. O pecuarista Clóvis de Barros, “um grande conhecedor da arte de criar gado”, foi um deles. Nascido em Cuiabá em 1927, ele sempre desenvolveu a pecuária nos moldes sustentáveis. A homenagem foi recebida por seu filho, Ricardo Lins de Barros. O outro destaque foi o pescador artesanal profissional Américo de Souza. Na atividade há 51 anos, ele já contribuiu com várias pesquisas da Embrapa na área de pesca. Atualmente auxilia o pesquisador Flávio Nascimento nos estudos sobre a produção de peixes em tanques-rede no Pantanal.

O Simpan é uma realização da Embrapa Pantanal, ICS do Brasil (Instituto de Comunicação Social) e da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul).  Tem correalização da Prefeitura Municipal de Corumbá e patrocínio da Petrobrás. Apóiam a iniciativa o Centro de Tecnologia Mineral, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Ministério da Ciência e Tecnologia, Prefeitura Municipal de Ladário, Universidade Uniderp, Hotel Gold Fish, Seher Turismo, Centro de Convenções do Pantanal de Corumbá “Miguel Gomez” e Universidad Pública René Moreno do Governo Departamental de Santa Cruz/Bolívia.

Informações Embrapa Pantanal

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>