Técnicos apresentam propostas a produtores em Bonito

Técnicos do projeto GEF Rio Formoso estiveram em Bonito, nos dias 6 e 7 deste mês, para apresentarem as propostas de atividades a serem realizadas com os produtores rurais das áreas selecionadas para intervenção.

A exposição teve como objetivo principal iniciar um canal de comunicação com os produtores para discutir as possibilidades de parceria. “Iremos atuar levando em consideração, principalmente, as realidades e demandas dos proprietários. Temos como princípio a participação direta e efetiva daqueles que se beneficiarão diretamente com o projeto”, disse o coordenador adjunto do projeto, Rodiney Mauro, da Embrapa Gado de Corte.

São duas regiões definidas para intervenção que se localizam na bacia hidrográfica do rio Mimoso. Elas formam micro bacias hidrográficas que abastecem o rio Formoso e foram escolhidas por serem consideradas críticas em relação a conservação de solo e água. Foram realizados estudos sobre estado de conservação do solo, água, e vegetação entre outros e a partir dos resultados estas áreas foram escolhidas.

Em cada área, a equipe fez o planejamento ideal para propor aos produtores. Neste planejamento foram levadas em consideração as características não apenas geoclimáticas (relevo, solo, clima, e disponibilidade de recursos hídricos), mas também as características socioeconômicas e tipos de culturas já utilizadas pelos proprietários.

Em uma destas áreas, denominada como M1, as proprietárias, Marly e Suely Monteiro, afirmaram estar muito contentes em participar do projeto pela possibilidade de melhorar não apenas a produção como também a conservação dos recursos naturais. “Temos consciência de que para nós, solo, água, assim como plantas e animais são indispensáveis para o bom funcionamento da nossa atividade, a pecuária”, disse Marly.

Outras atividades agrícolas serão contempladas pelas ações, como as praticadas no outro limite estipulado pelos estudos. Nele, nomeado de M7, encontram-se, por exemplo, bovinocultura (corte e leite), agricultura, suinocultura, ovinocultura.

Para o produtor de leite Miguel Borges de Lima a participação no projeto será de grande ajuda. “Como trabalho com leite, preciso de um tipo de pasto que me ajude a melhorar a produção. Além disso também quero melhorar as condições das minhas terras”, disse.

Entre as atividades propostas aos produtores estão a silvicultura para aqueles que trabalham com bovinocultura, a implantação de SAFs (Sistemas Agroflorestais) e plantio de mudas de espécies nativas – ambos para a recomposição de matas ciliares, conservação de solo e estradas, além de outras.

GEF Rio Formoso – O projeto financiado pelo Banco Mundial é coordenado pela Embrapa Solos e conta com a participação das unidades Gado de Corte (Campo Grande- MS, coordenadora regional), Agropecuária Oeste (Dourados- MS) e Pantanal (Corumbá-MS).

Também estão envolvidos a Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer), Secretaria de Estado de Meio Ambiente das Cidades, do Planejamento, da Ciência e Tecnologia (Semac), Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), Conservação Internacional (CI Brasil) e Fundação Cândido Rondon (gestora financeira).

O Projeto possui ainda outros colaboradores e co-executores importantes como a Prefeitura Municipal de Bonito, através da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, o IASB (Instituto das Águas da Serra da Bodoquena) e apoio técnico e institucional do Ibama.

 Fonte: IASB

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>